quinta-feira, 29 de junho de 2017

Você sabe como funciona uma célula de carga?


As células de carga consistem de um elemento de medição onde os strain gages são fixados. Este elemento é geralmente feito de aço ou alumínio. Isso significa que é muito resistente, mas também possui uma elasticidade mesmo que mínima.

O aço ou alumínio é levemente deformado sob o efeito da carga, mas então volta à sua posição inicial, com uma resposta elástica a cada carga. Estas mudanças extremamente pequenas (micro deformações) podem ser medidas pelos strain gages (abreviado como SG). Então finalmente a deformação do SG é interpretada pela eletrônica (amplificador) que permite assim, determinar o peso.

Para entender este ultimo ponto, consideremos os SGs com mais detalhes: eles são condutores elétricos firmemente fixos a um filme. Quando o filme é "puxado", ele e seus condutores ficam mais longos. Assim como quando é contraído, ficam mais curtos. Isso faz com que a resistência dos condutores elétricos varie. A micro deformação pode ser determinada desta forma, a resistência aumenta com a deformação e diminui quando ocorre a contração.
Os SGs são firmemente fixados no elemento de mola, então são submetidos aos mesmos movimentos. Estes SGs são dispostos em um circuito ponte ou, mais precisamente, um circuito ponte de Wheatstone (veja o diagrama). Isso significa que quatro SGs são conectados em um “anel” e o grid de medição da força a ser medida é alinhado em conformidade.
Se um objeto é colocado sobre a célula de carga ou suspenso a partir dela, o peso do objeto pode ser determinado. A carga pretendida para uma célula de carga é sempre alinhada na direção do centro da Terra, ou em outras palavras, na direção da gravidade. Apenas o componente da carga deve ser medido. Não é o caso para os sensores de força, que são muito similares na construção: eles são geralmente projetados para medir cargas que ocorrem em todas as direções. A direção da força gravitacional da Terra não é relevante da forma que são instalados.

Fonte:hbm.com