Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2021

Por que priorizar alimentos seguros para alimentar vacas leiteiras?

Imagem
Por que priorizar alimentos seguros  para alimentar vacas leiteiras?  A nutrição animal é o principal fator que influencia a produção das vacas leiteiras, principalmente porque os custos com a alimentação do rebanho giram em torno de 70%. Independentemente do número de animais, não é incomum que pecuaristas tenham que adquirir alimentos provenientes de fora da propriedade, tais como concentrados (rações) e alimentos volumosos para alimentar os animais em alguns períodos. Dessa forma, para que problemas não sejam introduzidos na propriedade junto com alimentos externos, o produtor deve tomar alguns cuidados. A compra de insumos deve ser feita de forma segura, protegendo a saúde do rebanho e a qualidade do produto final, o leite. Confira algumas dicas para que a qualidade do alimento que vem de fora seja a melhor possível e traga resultados positivos no quesito produtividade. Eficiência e planejamento: essenciais para garantir o sucesso da propriedade leiteira Na pecuária, o nível de efi

Decisão elimina ICMS na troca de gado entre Estados

Imagem
Decisão elimina ICMS na troca de gado entre Estados Pecuarista pode aumentar o desempenho da propriedade rural Imagem: Marcel Oliveira Uma decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal, em abril, eliminou a tributação pelos fiscos estaduais da cobrança de ICMS na transferência de gado do mesmo proprietário entre os Estados. A decisão deixa claro que, se não existir transferência de titularidade, ou seja, não houver comercialização de gado, não há argumento para a aplicação da taxa, apesar da movimentação entre estados. Com a profissionalização cada vez maior da pecuária brasileira, é comum que produtores de gado transportem seus animais de uma fazenda para outra, a fim de melhorar a performance de acordo com o ciclo do gado e a gestão da quantidade de confinamentos. Com a decisão os criadores de gado não são obrigados a arcar com a tarifa estadual, como explica o advogado tributarista Rodrigo Totino, do escritório MBT Advogados Associados. “O atual posicionamento do STF esvazia a arg